Destinos

Destinos
Destinos

Dicas

Dicas
Dicas

Hotéis e Gastronomia

Hotéis e Gastronomia
Hotéis e Gastronomia

Meus maiores erros e arrependimentos em viagens



Errar é humano, claro, mas compartilhar o erro para que outras pessoas não o cometam é ainda mais humano. Assim como em tudo mais na vida, uma viagem não é sempre feita somente de momentos felizes, com arco íris e unicórnios. As vezes a alegria de viajar acaba atrapalhando o pensamento lógico e então os erros acontecem. Nesse post eu compartilho com vocês meus maiores erros e arrependimentos em viagens até o momento:


Não pesquisar sobre visto de trânsito
Quando fui para New York pela primeira vez (aliás para o meu casamento), agendei o vôo com a Air Canada. O vôo sairia de Frankfurt, faria uma conexão em Toronto e então partiria para New York. Cheguei no aeroporto com as malas prontas e o meu visto de turista americano. O que eu não contava era que também precisava de um visto para o Canadá, mesmo que fosse somente devido à uma conexão. Resultado: tive que agendar um vôo direto à New York para a manhã seguinte, pagar 500€ extra e dormir no aeroporto porque não consegui uma reserva em um lugar perto tão em cima da hora. Tenha muito cuidado com vistos!

Não levar uma muda de roupas limpas na bagagem de mão
Toda vez que eu vôo para o Brasil e faço conexão na França, as chances de a minha bagagem não chegar no mesmo dia são grandes. São geralmente 4 vôos (Alemanha -> França -> Rio ou São Paulo -> Florianópolis) e isso sempre causa confusão com as bagagens. Eu não sei porque, mas é como se a França tivesse um buraco negro para bagagens. Tudo bem, eu posso comprar roupas quando chegar no Brasil, mas depois de tantas horas, eu quero mesmo desembarcar e sair às compras? Óbvio que não. Isso também vale para escova de dentes.

Não me informar sobre o que visitar na cidade para a qual estou viajando
Sou dessas que diz que nem tudo na vida precisa ser super planejado e que as vezes é bom ser espontânea. Dica: deixe a espontaneidade para outras coisas, não para a viagem. Me arrependi diversas vezes por não ter pesquisado o que fazer/ ver em um lugar e então chegar em casa e descobrir que perdi uma vista maravilhosa. Tudo bem, pode ser que viaje para aquele lugar de novo algum dia, mas me conhecendo bem, sempre vou priorizar lugares ainda desconhecidos. Você não precisa fazer uma lista tão restrita e super organizada sobre o que fazer de hora em hora, mas tenha certeza que sabe onde ir e quais lugares são imperdíveis para você.

Comer em restaurantes de fast food
Li em um outro blog de viagens alguém dando dicas para os viajantes comerem em restaurantes de fast food como uma forma de economizar no orçamento da viagem. Tudo bem, até entendo o princípio, mas eu não me perdoo se for para um lugar diferente e em vez de comer algo típico do lugar, comprar um Big Mac ou um Whopper. Conhecer mais sobre a cultura local também significa saborear seus pratos típicos, refeições que as pessoas comem todo dia, como nós brasileiros e o nosso arroz e feijão. E outra, não é porque a comida é típica no local que necessariamente vai ser mais cara.

Não levar um casaco
Esse é o arrependimento que mais me lembra minha mãe: “leva um casaquinho, vai ser frio”. Já passei muito frio principalmente em viagens de ônibus, onde alguns motoristas parecem dirigir com um casaco de pele e meias de lã, já que não aparentam sentir o menor frio e acham que ninguém mais sente também. Independentemente de sua idade, ouça sua mãe e leve o bendito casaquinho!

Não tirar as lentes de contato
Esse foi o erro mais doloroso que já cometi em uma viagem. Estava viajando de ônibus à São Paulo para fazer meu visto de estudante para a França e peguei no sono com as lentes. Até tentei acordar mas estava tão cansada que não tive forças. Pensei que não tinha problema, mas quando acordei meus olhos estavam super secos e irritados. Tirei as lentes que pareciam já estarem grudadas na minha córnea e não consegui colocá-las de volta até o outro dia. Chegar em um consulado com os olhos extremamente vermelhos e sem enxergar muito bem é, além de doloroso, envergonhante.

Comprar coisa inúteis e não comprar algo que usaria
Posso fazer uma lista de todas as inutilidades que já comprei em viagens, geralmente souvenires que são vendidos naquelas lojas especializadas em turistas: imãs, camisetas, estátuas, entre outros. Todas essas coisas que agora ficam estocadas no armário porque não tenho lugar para “exibí-las”. Por outro lado, diversas vezes queria comprar algo como um casaco, bolsa, relógio...mas não comprei porque “não é representativo do país”. Só agora percebo que não devo basear minha decisão de compra no fato de ter que comprar algo do lugar, mas sim de querer comprar algo no lugar.

Não tirar mais fotos
Sempre penso “já tirei fotos o suficiente, não preciso mais uma” ou então “todo mundo ta olhando eu tirar tantas fotos, que vergonha”. Grande erro. Tire quantas fotos quiser ou quantas precisar até conseguir aquela foto que parece capa de revista de viagem. Ninguém estará julgando você porque, bem, quem quer que esteja ao seu lado ou sabe que você é turista ou é um turista também. E outra, mesmo se estivessem julgando você, por que se importar com a opinião de alguém que você nunca mais vai ver na vida? Não tenha vergonha ou medo do que os outros vão pensar, lembre-se que as fotos são parte da sua experiência no local e por isso são importantes para você.


E você, quais são seus maiores erros e arrependimentos em viagens? Deixe um comentário! 

Um comentário

  1. Oi Milena, adoro seus post´s e sempre me encaixo neles, rsrs...
    Felizmente não passei por esse problema de visto em trânsito até o momento, rsrs... e espero não passar. E agora quem tem o visto americano, servirá para entrar no Canada, menos mal.
    Uma troca de roupa já é de praxe, pois quem tem filhos sempre leva, pelo menos eu sempre levei porque o Victor voa desde a minha barriga e várias vezes derrubou alguma coisa na roupa durante a viagem. Também já tive problema com malas que não chegaram, ou chegaram quebradas ou mesmo abertas e faltando coisas e roupas dentro. Por isso dou preferência a voos diretos.
    Casaquinho também sempre levo, porque vai que faz frio... sou exagerada mesmo.
    O pecado das visitas eu também cometo, várias vezes ficamos sem visitar alguma coisa interessante por falta de conhecimento.
    Fast food tenho que concordar também, na dúvida e pela praticidade acabamos comendo os já manjados lanches que conhecemos de longa data e perdemos a oportunidade de comer algo dos deuses pra nunca mais esquecer... Mas as vezes o lugar não é tão convidativo em matéria de culinária e acabo não comendo mesmo, rs
    Completamente de acordo quanto as comprinhas inúteis, rsrs... mas como sou fã de camisetas, uno o útil ao agradável e sempre trago alguma(s) além de outras bugigangas desnecessárias que ficam guardadas por falta de espaço.
    Fotos tiro de monte também, adoramos tirar fotos e nunca é demais.
    Eu incluiria nessa sua lista procurar se informar a respeito das leis de trânsito do lugar por onde vai passar se estiver com carro alugado, pois levamos várias multas na Itália e olha que alugamos um carro por uma semana e passamos por muitas cidades. Até golpes com multas fictícias recebemos sobre essa viagem a Itália, não é só no Brasil que existe corrupção...
    E também não levar roupas em exagero, porque depois falta espaço pra comprinhas, rsrs... tem lugar que só podemos levar uma mala de até 20kg ou nem isso, rsrs... triste, não é?
    Sofro muito com isso quando vou na casa da Paula, só posso levar uma mala de até 23kg e depois fico desesperada porque levei roupas em exagero e faltou lugar pra colocar as comprinhas super necessárias que fiz por lá.
    Levo sempre uma balança de mão de mala, rsrs e uso sempre!
    Beijos e boa viagem sempre.
    Já temos duas compradas e programadas pra esse ano e por enquanto... Brasil e Amsterdã

    ResponderExcluir