Destinos

Destinos
Destinos

Dicas

Dicas
Dicas

Hotéis e Gastronomia

Hotéis e Gastronomia
Hotéis e Gastronomia

Snorkeling em Nassau, Bahamas e o primeiro vídeo do Bem Viajada!



Eu sempre fui uma entusiasta em relação ao oceano. Desde pequena viajava com meus pais pelas praias de Santa Catarina durante as férias de verão e em 2006 mudei para uma das cidades de praia mais belas do estado: Balneário Camboriú.

Levar uma vida de sereia, com areia em todo o corpo, cabelo ensopado pela água salgada e sentir a brisa do mar sempre me pareceu um sonho. Porém, apesar de amar tanto o mar eu nunca mergulhei na imensidão azul para descobrir mais sobre a vida que acontece fora da área segura para turistas de veraneio.

Isso mudou quando em Dezembro do ano passado eu e meu marido decidimos fazer snorkeling em Nassau, nas Bahamas. Como estávamos em um cruzeiro, só poderíamos aproveitar Nassau durante algumas horas. Decidimos que trocaríamos um passeio pelo famoso Atlantis Paradise Island Resort, provavelmente o cartão postal mais famoso das Bahamas, por uma aventura em alto mar.

Pegamos um barco e cerca de 45 minutos depois chegamos até o "Rainbow Reef", um dos recifes mais conhecidos das Bahamas. Depois de ouvirmos as instruções de segurança recebemos nosso equipamento de mergulho: colete, máscara, snorkel e nadadeiras. Eu estava super ansiosa para entrar na água e como me considero uma boa nadadora, não fiquei nem um pouco nervosa.

Quando entrei na água, entretanto, nem tudo foi mil maravilhas estilo "A Pequena Sereia". Eu nunca tinha usado nadadeiras antes e tive alguma dificuldade para me locomover. O colete também estava me irritando um pouco já que senti como se estivesse muito presa e sem liberdade nenhuma. Mesmo assim, decidi mergulhar um pouco para ter uma primeira impressão. O que eu vi foi algo incrível: assim que abri os olhos, vi diversos peixinhos de várias cores nadando ao meu redor, além de um lindo coral alguns metros embaixo dos meus pés que ainda "lutavam" com as nadadeiras. Imediatamente a cena me lembrou de um desses protetores de tela do computador com peixes nadando, difícil acreditar que tudo aquilo era real.

Depois de cerca de 20 minutos me adaptando à tudo: nadar com as nadadeiras, o colete me puxando para a superfície, a respiração pela boca através do snorkel e meu cérebro tentando me dizer que algo tão lindo assim não podia ser real e estar ali, ao meu redor, eu finalmente comecei a relaxar.

Eu e o Sebastian fizemos vários vídeos embaixo d'água dos peixinhos nadando ao nosso redor e também dos corais. É claro que não tocamos em absolutamente nada, e até acho que perceber nossa insignificância e o quanto não pertencemos àquele ambiente mostra como devemos respeitar esse "mundo escondido" que é tão mais profundo que pensamos.

Independente de idade - crianças e vovós estavam nadando no nosso grupo -, praticar snorkeling é uma dessas experiências que ninguém esquece e que a maioria quer fazer de novo, de novo e de novo.

Depois de nadar por aproximadamente uma hora no Rainbow Reef, voltamos para o nosso barco e retiramos o equipamento. Enquanto esperávamos para voltar à costa, um senhor com uma pequena canoa aproximou-se do nosso barco para vender cocos fresquinhos. Comendo nosso coco pegamos o rumo de volta a Nassau, exaustos e mais felizes do que nunca. 

E por falar em novas experiências e felicidade, o Bem Viajada tem agora seu primeiro vídeo! Clique no play para ver como é fazer snorkeling em Nassau!


- English Version -

I've always been an ocean enthusiast. Since I was a little girl I traveled with my parents to the beaches of Santa Catarina during the summer holidays and in 2006 I moved to one of the most beautiful beach towns in the state: Balneário Camboriú.

Living a mermaid life, with sand all over my body, wet hair from the salty water and feeling the sea breeze always looked like a dream to me. However, despite loving the sea so much I never immersed myself in the blue immensity to find out more about the life that happens outside the tourist swimming safe zone.

That changed when in December of last year my husband and I decided to go snorkeling in Nassau, Bahamas. As we were on a cruise, we could only enjoy Nassau for a few hours. We decided then that instead of taking a tour at the famous Atlantis Paradise Island Resort, probably the most famous postcard of the Bahamas, we would go for an adventure on the sea.

We took a boat and around 45 minutes later we reached the Rainbow Reef, one of the most famous reefs in the Bahamas. After hearing the safety instructions we received our diving equipment: vest, mask, snorkel and fins. I was super excited to get into the water and because I consider myself a good swimmer, I was not nervous at all.

When I jumped into the water, however, not everything was "The Little Mermaid - sea magic" style. I had never used fins before and had some difficulty getting around. The vest was also annoying me a bit since I felt as if I was very stuck and without any freedom. Even so, I decided to dive a little to get a first impression. What I saw was something incredible: as soon as I opened my eyes, I saw several little fishes of various colours swimming around me, as well as a beautiful coral a few meters below my feet that still "fought" with the fins. Immediately the scene reminded me of one of those computer screensavers with swimming fishes, hard to believe that all that was real.

After 20 minutes adapting to everything: swim with the fins, the vest pulling me to the surface, breathing through my mouth/ the snorkel and my brain trying to tell me that something so beautiful could not be real and be there, around me, I finally began to relax.

Sebastian and I did several underwater videos of the little fishes swimming around us and also the corals. Of course we didn't touch anything, and I even think that realizing our insignificance and how much we don't belong to that environment shows how we should respect this "hidden world" that is so much deeper than we think.

Regardless of age - kids and grandmas were swimming in our group - snorkeling is one of these experiences that no one forgets and that most want to do again, again and again.

After swimming for about an hour at the Rainbow Reef, we returned to our boat and removed the equipment. While we waited to return to the coast, an older man with a small canoe approached our boat to sell fresh coconuts. Eating our coconuts we headed back to Nassau, exhausted and happier than ever.

Talking about new experiences and happiness, Bem Viajada has now its first video! Click on play to watch how it is to snorkel in Nassau!

 

Um comentário